Diferencia entre revisiones de «TIAE-AprendizagemBaseadoEmProjetos»

De .Edu.Co.Wiki
Saltar a: navegación, buscar
Línea 1: Línea 1:

+
  
  
 
  
 
  
Línea 28: Línea 28:
 
Mais uma sugestão de etapas, feita na proposta de Grégoire & Laferrière (2001):  
 
Mais uma sugestão de etapas, feita na proposta de Grégoire & Laferrière (2001):  
  
<abshtml><img src="http://www.tact.fse.ulaval.ca/ang/flang.jpg"></abshtml>  
+
<abshtml><img width="200" src="http://www.tact.fse.ulaval.ca/ang/flang.jpg"></abshtml>  
  
 
=== O qué pode ser feito na aula?<br>  ===
 
=== O qué pode ser feito na aula?<br>  ===

Revisión de 21:22 11 oct 2008





Informação básica sobre ABP

  • Vicente Risi tem um post muito interessante sobre o tema.
  • Entrevista da Revista Nova Escola com o profesor Fernando Hernández (autor do livro Organização do Currículo por Meio de Projetos). Algumas idéias interessantes:
"A pedagogia de projetos [que surge nos anos 1920] trabalhava um modelo fordista, que preparava as crianças apenas para o trabalho em uma fábrica, sem incorporar aspectos da realidade cotidiana dentro da escola. Os projetos de trabalho [que surgem nos anos 1980] tentam uma aproximação da escola com o aluno e se vinculam muito à pesquisa sobre algo emergente."
"Em primeiro lugar, é necessário que se tenha um problema para iniciar uma pesquisa. Pode ser sobre uma inquietação ou sobre uma posição a respeito do mundo. A partir daí, é importante trabalhar as maneiras de olhar o mundo que são diversas. Mas não interessa só localizá-las e sim entender o significado delas. O resultado é que se constrói uma situação de aprendizagem em que os próprios estudantes começam a participar do processo de criação, pois buscam resposta às suas dúvidas. Isso é o projeto de trabalho."
"O docente tem a capacidade de escutar o que está acontecendo dentro e fora da sala de aula, mas o problema pode sair de uma questão que as crianças levem para a escola ou ser um tema emergente na imprensa. O importante é fazer algo que desperte o interesse deles e nunca o que eles gostem."
"Projeto de trabalho não é uma fórmula e sim uma concepção de educação. "
"Não é possível ensinar tudo por meio de projetos porque há muitas maneiras de aprender. Projeto é uma concepção de como se trabalha a partir de pesquisa. É bom e é necessário que os estudantes se encontrem com diferentes situações para aprender."


Etapas de um projeto

Segundo Leite et al. (1998), Amaral (2000) e Vieira (1998), citados pela Jacqueline Simôes:

  1. A problematização: os aprendizes irão expressar suas idéias e conhecimentos a respeito do tema em questão. Observa-se que o projeto é organizado pelos aprendizes a partir das questões levantadas nesta etapa.
  2. O desenvolvimento: Surge a necessidade de se planejarem as estratégias mais adequadas para que os objetivos sejam atingidos, buscando as respostas para as questões propostas pelo grupo. Também nesta fase a participação plena dos aprendizes é fundamental, tanto no planejamento quanto na execução das atividades. É preciso que os aprendizes se deparem com situações que os obriguem a comparar pontos de vista, rever suas hipóteses, colocar-se novas questões, deparar-se com outros elementos postos pela ciência.
  3. A síntese: é prevista e preparada desde o planejamento e prossegue ao longo do desenvolvimento com a previsão, organização e sumarização das informações coletadas. Avaliam-se os conhecimentos adquiridos, os procedimentos utilizados, as atitudes incorporadas. Avalia-se, sobretudo, se as questões levantadas inicialmente foram resolvidas e em que nível. Dependendo da natureza do projeto, nesta fase se tornam possíveis as apresentações do “produto”, ou “produtos” finais do projeto.

Segundo Nogueira (1998), citado de novo pela Jacqueline Simôes:

  1. Planejamento: O aprendiz estabelece os primeiros procedimentos para o desenvolvimento do projeto.
  2. Montagem e execução: O aprendiz inicia o processo de investigação propriamente dito. Esta etapa se estende até o aprendiz sentir que já possui domínio suficiente de todas as informações necessárias sobre o tema investigado. Então, inicia seu processo efetivo de elaboração do “produto”, resultado do seu projeto.
  3. Depuração: Etapa de auto-avaliação e autocrítica, em que os ajustes poderão ocorrer. O aprendiz olha seu produto, supostamente acabado, para refletir criticamente sobre ele e alterá-lo, se julgar necessário.
  4. Apresentação: O aprendiz expor, apresenta ou disponibiliza seu produto.
  5. Avaliação e crítica: Tem como finalidade a análise e reflexão sobre o produto final, questionando sua qualidade e apresentando soluções de melhoria para projetos subseqüentes.

Mais uma sugestão de etapas, feita na proposta de Grégoire & Laferrière (2001):

O qué pode ser feito na aula?

Para desenvolver un projeto é preciso de tiempo suficiente.  Mas, a gente pode propor um trabalho de problematização sobre um tema específico.  É importante ter em conta que a pergunta do projeto deve ter relação com os interesses e à vida dos aprendizes.

Então, quiais perguntas podem ser feitas para trabalhar num tempo de meia hora?  Alguns exemplos:

  • Como pode ser resolvido o problema da contaminação de agua alrededor da Ilha de Fundão?
  • Qual é a historia dos aparatos que ficam no corredor do segundo piso do NCE?
  • O qué você precisa ainda aprender sobre a área das Tecnologías aplicadas à Educação?

Mais, a gente só tem 30 minutos para fazer toda a atividade.  Por isso, a turma só podería fazer uma pequenha problematização, e tal vez uma síntese rápida, para que a gente poda presentar as conclusões da atividade nos últimos 10 minutos.